Follow by Email

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Perfil do Bibliotecário - Olnivânia Mayara C. Almeida



Tenho quase 25 anos (risos), nasci em Chapadinha-MA, sou bibliotecária (pela Universidade Federal do Maranhão) com muito orgulho, amo minha família, e os meus poucos, porém verdadeiros amigos, adoro coisas novas, amo coisas meigas, rosas e lilás... Amo fazer compras, ir ao shopping, ao cinema e viajar. Sou muito focada, adoro desafios, sou teimosa e muito segura. Confio muito no Senhor Jesus Cristo e acredito que sem Ele nada sou. Vivo tudo intensamente, não vivo pra agradar as pessoas, e muito menos a sociedade... Vivo o que acho que é certo, e não me preocupo com opiniões de terceiros... 
Um livro? 
"O estudante" de Adelaide Carraro, tenho ele desde os 12 anos, fez parte de toda minha vida, serviu como exemplo e até hoje me emociona muito.
Um filme? 
À procura da felicidade, adoro filmes, amo cinema, mas esse me marcou bastante.
Uma frase? 
“É Deus quem escolhe a estrela que tem que brilhar”, é um trecho que uma música, desde que ouvi essa música , essa frase me marcou e me fez perceber que esse é o sentindo da vida, ninguém faz nada, sem o consentimento de Deus.
Trabalha em que tipo de Biblioteca? 
Formei à 1 ano, tive uma experiência de pouquíssimo tempo em uma universitária, por motivos particulares tive que sair, adorei a experiência apesar dos pesares. Hoje sou bibliotecária voluntária, numa biblioteca escolar, estou projetando a ampliação e organização do acervo dessa instituição.
Qual imagem tem do Bibliotecário? 
Um profissional inovador, voltado para o futuro, alguém perspicaz, um sonhador. Assim eu me vejo.
Qual imagem acha que passa para o usuário? 
O que citei anteriormente, sou inovadora, gosto de novas experiências, vivo tudo muito intensamente, e tudo que faço é com capricho e muita vontade, sempre lutei muito por meus objetivos, e graças a Deus realizo todos meus projetos...
O que te diferencia de outros profissionais? 
Acho que minha maneira de ser, sou uma pessoa decidida, e muitas vezes isso se confunde com arrogância, não baixo a cabeça para ninguém, pois minha única missão aqui na terra é ser feliz, ou seja, corro atrás do que quero e não espero por ninguém, para conseguir minhas realizações.
Qual o maior mico que já pagou numa biblioteca? 
Quando tava trabalhando tinha acabado de me formar, e na instituição que seu estava não houve apresentação, então os alunos não me conheciam, e quando uma moça chegou, toda entusiasmada, querendo falar com a BIBLIOTECÁRIA, quando me viu ela soltou sem querer a pergunta: “Você é a nova bibliotecária” quase morri, fiquei sem graça e só consegui dizer um amarelado “SIM”. Acho que o mico foi mais dela que meu... (risos) 
Qual o seu Hobby? 
Cinema, shopping, compras, sou uma verdadeira “patricinha” (risos), vem dai minha paixão por rosa e lilás.
Qual o seu maior sonho? 
Sonho com minha independência, com a biblioteconomia recebendo seu verdadeiro reconhecimento, e deixando de ser vista como “Biblio o quê”. 
O que faz fora da Biblioteca?
Hoje estou de volta à sala de aula, trilhando outro caminho, e realizando mais um dos meus sonhos (Olnivânia está fazendo curso de graduação em Farmácia pelo Florence =D).
Quais ações culturais você realiza ou gostaria de realizar? 
Bem, no momento estou com projetos para a instituição que sou voluntária, estou com uma campanha de arrecadação de livros para compor o acervo, e posteriormente pretendo realizar semanas de leitura, contos, para incentivar o hábito da leitura dessas crianças.
Porque escolheu o curso de Biblioteconomia? 
Conheci bibliotecárias maravilhosas que me inspiraram, Dona Lucia Cristina atual bibliotecária do TCE, uma pessoa maravilhosa, minha 1ª chefe, me ensinou muito, e me influenciou de alguma forma, e também a professora Leoneide, que conheci no campus IX em Chapadinha, minha cidade natal, onde a mesma me falou tanta coisa linda da profissão, que até hoje nunca esqueci. Essas duas foram e são meus exemplos de profissionais.
Quais são suas expectativas para o futuro profissional?
Na verdade, não planejo o futuro, pois vivo o presente, sou muito indecisa, portanto não tenho como planejar as coisas. Mudo de planos conforme os obstáculos, não desisto, mas muda a direção. 
Biblioteconomia foi sua primeira opção ao prestar vestibular? 
Sim, mas meu sonho mesmo, sempre foi a saúde... (risos).
Você acha que o campo da Biblioteconomia ainda é visto como um campo dominado por mulheres? 
Não, temos profissionais bibliotecários, com O maiúsculo (risos) maravilhoso, super competente, meu amigo Alison Cadete é um bom exemplo.
A melhor lembrança que teve da graduação? 
Meus poucos amigos que conquistei, mas as inúmeras pessoas maravilhosas que conheci graças a biblioteconomia.
A melhor lembrança que teve da profissão? 
Ainda não tive nenhuma, pois minha experiência profissional é pouca.
Como você analisa o Mercado de trabalho? 
Quase inexistente, mais o pouco que tem, é muito competitivo. Tem que se destacar de alguma forma para ter seu lugar.
Fonte: www.bibliotecariaescandalosa.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva aqui seu comentário