Follow by Email

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Entrevista com Galeno Amorim da Biblioteca Nacional


ProfessorNews - Qual a participação da Biblioteca Nacional no Sistema Educacional Brasileiro? Existe algum programa de visitação, consulta ou doação de livros, por exemplo?
Galeno Amorim - A Fundação Biblioteca Nacional envia regularmente para bibliotecas públicas obras com o objetivo de constituir e atualizar os acervos. Nos últimos oito anos, o Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP), da FBN, distribuiu cerca de 4,5 milhões de livros para bibliotecas públicas do país. Este é um exemplo de como a FBN está presente no sistema de ensino. Muitas destas bibliotecas são universitárias, que recebem obras escolhidas por especialistas em diversas áreas de conhecimento, publicações da própria Biblioteca Nacional ou obras publicadas com apoio da Lei Rouanet. Por outro lado, o Programa Nacional de Incentivo à Leitura (PROLER) está em interface direta com o Sistema Educacional Brasileiro. Implementa ações  que formam mediadores de leitura e cursos junto a professores que resultam em projetos nas salas de aula, promoção de incentivo à leitura em presídios, centros culturais e tantos outros espaços. Não podemos esquecer, ainda, do Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE), que desde 1997 incentiva a formação do hábito da leitura nos alunos e professores por meio da distribuição de acervos de obras de literatura, pesquisa e de referência.
ProfessorNews - Que tipo de investimento o Ministério da Cultura vem fazendo no incentivo à leitura?
Galeno - São inúmeros os projetos e investimentos nas políticas de promoção à leitura no Brasil. Um balanço realizado pelo Ministério da Cultura no ano passado mostrou que, nos sete anos anteriores, o MinC investiu R$ 291,9 milhões em iniciativas que tiveram como objetivo estimular o hábito da leitura, facilitar o acesso às bibliotecas e propiciar a produção e difusão do conhecimento científico, acadêmico e literário. Esse grande aporte de investimentos se deu, em grande medida, com a implantação em 2006 do Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL) e com a criação do Programa Mais Cultura no ano seguinte. Além disso, no âmbito do PNLL, é importante destacar as ações que o Ministério da Educação tem desenvolvido para fortalecer o Plano.
ProfessorNews - Em sua opinião, o professor universitário brasileiro é participativo no incentivo à leitura? Como?
Galeno - Sem dúvida. Entretanto, é importante ressaltar que a leitura deve ultrapassar os muros da Universidade e não se limitar aos conhecimentos teóricos. Projetos de extensão são essenciais para que o conhecimento da academia seja integrado à comunidade.
ProfessorNews - O livro digital está se tornando cada vez mais presente no Brasil. Que tipo de mudanças essa nova maneira de ler pode ter nas bibliotecas brasileiras?
Galeno -  As bibliotecas, que já vêm sendo criadas em formatos que priorizam multimídias (ou seja, em um mesmo espaço, diversos suportes diferentes de informação), devem se adaptar gradativamente às novas possibilidades de leitura. O e-book, em breve, deve ser integrado à realidade das bibliotecas públicas. Na Fundação Biblioteca Nacional, estamos começando a preparar a BN Digital para que ela também possa, em breve, emprestar e-books. O próximo passo será a digitalização de 4.500 títulos importantes da literatura brasileira, que estão em domínio público. Desses, serão selecionados 100 para que sejam, a partir do início de 2012, colocados à disposição dos leitores para empréstimo gratuito.
ProfessorNews -  Como a Fundação Biblioteca Nacional pretende lidar com o advento do livro digital em relação às publicações brasileiras? (Direito Autoral, consulta ao acervo, distribuição do material, inscrição no ISBN etc.)
Galeno - A Biblioteca Nacional é guardiã da memória nacional e vem adaptando com muito êxito sua tradição às mais avançadas tecnologias de preservação e digitalização. Um exemplo desse sucesso é nossa participação na Biblioteca Digital Mundial (www.wdl.org.br), iniciativa da Biblioteca do Congresso Americano e da Unesco. A nossa Biblioteca Nacional participa do projeto e, dada a sua importância, o Português é uma das sete línguas oficiais do projeto. Além disso, temos a Biblioteca Nacional Digital (http://bndigital.bn.br), com acervo de um milhão de imagens, que irá aumentar para dez milhões em 2012. A partir do próximo semestre, a Agência Internacional do ISBN da Fundação Biblioteca Nacional, vai inaugurar o cadastro on-line de novas editoras e registros de ISBN, ação que demonstra que a instituição tem acompanhado o ritmo das mudanças tecnológicas. Da mesma forma, o Escritório de Direitos Autorais tem trabalhado intensamente no estudo de formatos para digitalização e sistematização de processos.
Fonte: http://www.professornews.com.br/3/section.aspx/353



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva aqui seu comentário